É possível encontrar todo tipo de informação sobre cães, mas as patas não costumam ganhar muita atenção.

Para começar, devemos citar que existem variações de patas: grandes, pequenas, compridas, largas e delicadas. E cada raça traz algumas características específicas.

  1. Atualmente, os cães costumam usar esse “dedo” para segurar brinquedos ou petiscos.

 

  1. Algumas raças de cachorro que foram criadas para suportar o frio, como São Bernardo e Terra Nova, têm patas largas e grandes para ter uma maior aderência na neve.

 

  1. E algumas raças como Doberman e Greyhound, têm “pés de gato”, que são menores e mais “arqueados”. Isso faz com que se destaquem pela resistência e velocidade, porque suas patas são leves.

 

  1. Nadadores natos têm pés palmados, como é o caso do Labrador Retriever.

 

  1. Se seu cachorro ficar mordendo ou lambendo excessivamente as próprias patas, pode ser um sinal de ansiedade. É preciso ter cuidado e leva-lo ao veterinário porque pode causar ferimentos.

 

  1. As almofadas (coxins) das patas dos cães são compostas principalmente de tecido adiposo (gorduroso), para que fiquem protegidas do frio e do calor.

 

  1. Entretanto, é possível que as patas dos cães sofram queimaduras (inclusive com a formação de bolhas) quando andam por superfícies quentes (como o chão no verão); ou irritações ao entrar em contato com produtos químicos.

 

  1. Existem glândulas sudoríparas nas patas dos cachorros.

 

  1. Os cães colocam a maior parte do peso do corpo nos dedos.

 

  1. Sabe aquela unha que fica mais afastada das demais nas patas dos cães? Acredita-se que seja remanescente do que seria um dedo polegar (o popular “dedão” dos humanos). Uma curiosidade extra: nem todos os cães tem essa unha.

Fonte: Portal Dog